Home

Amadeo

Pintor português que, após uma breve passagem pela Academia de Belas-Artes de Lisboa, em 1906 foi para Paris. Conheceu Modigliani, com quem realizou uma exposição conjunta em 1911, ano em que participou no Salon des Indépendants, e convive com muitos outros modernistas, como Archipenko ou Brancusi. Em 1913, participou, com grande êxito, na grande exposição de arte moderna The Armory Show. Com o início da I Guerra Mundial regressou a Portugal, onde colaborou com Sonia e Robert Delaunay, que aqui se tinham fixado em 1915, bem como com artistas portugueses contemporâneos, como Eduardo Viana e Almada Negreiros. A sua aproximação aos futuristas só se concretizaria na revista Portugal Futurista, em 1917, pois o terceiro número de Orpheu, em que colaboraria, não chegou a publicar-se. Vivendo e trabalhando em Manhufe, sua terra natal, as exposições onde se apresentou, no Porto e em Lisboa, ambas em 1916, não suscitaram grande interesse. A gripe espanhola vitimá-lo-ia logo de seguida, em 1918. A sua obra é atravessada por várias das principais linguagens plásticas que marcaram o início do século xx (cubismo, abstraccionismo, expressionismo), que experimenta simultaneamente com rigor e liberdade, vertendo com grande sentido de medida o elemento nacional na corrente artística internacional, elemento esse que sobretudo exprime a sua radical individualidade, humana e artística.

Manhufe, Amarante, 1887 – Espinho, 1918


Amadeo no CAM
Museu Municipal Amadeo de Souza Cardoso
Amadeo no YouTube

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s